quinta-feira, 6 de agosto de 2009


Quatro. Quatrinho. Quatrão. Quarto. Quartinho. Quão. Qualquer. Qual?

Vi Pequena Sereia. Num mar sem nome. Vi ela lá longe. Foi pra longe essa Sereia. Tem problema não. Porque nós tudo faz grupo. Eu - sei lá quem sou - a Sereia, a Sra. Nunes e o Porrada Paulista. Faz grupo nós. Faz grupo.
Sereia foi pra longe. E Nunes foi pra dentro. Dentro dela. Foi pra dentro do estômago. Sei lá. Deixa ela lá. Vai que sai junto com brigadeiro? E O PP tá aqui. Tá ali. Tá lá longe. Ele tá em todo lugar. Porque é assim. Ele é assim. Eu sou assim. Ela é assim e a outra é assado. É todo mundo diferente. Mas muito unido por alguma coisa sem nome como o mar.
HAHAHAHA.
O Homem deu nome pra mar? O Homem deu sim. O Homem deu nome pra mar. Burro! Como dar nome ao mar? Tem linha que divide um do outro? E os peixes respeitam as fronteiras? As águas são diferentes? Não Homem. Não. Não e muitas outras vezes não. Mar não tem nome. Nem a coisa - aquela coisa lá - que nos une. Une porque une. Une porque a gente se encontra na orgia das nossas diferenças tão parecidas. É. É.
E tudo junto. E tudo briga. E tudo chora. E tudo ri. E tudo fuma. E tudo grita. E ri. E chora. E beija. E lê. E pensa.
PENSA?
Pensa mesmo? Sei não. Nós tenta. Nós paga de intelectual. Nós paga de Leblon. Nós paga de Literatura. Eu pago mais não. Eles - acho - também não. Aprende-se a se respeitar. Não com a idade. Mas com outra coisa que não a idade. A maturidade? Sei lá. Tem idade em maturidade. Tem sim. Ali no final tem a idade: matur idade. Ai ai! Que lambança de linguagem é essa. Mas a gente se entende. A gente quem? Eu finjo que entendo. Finjo porque tem que fingir que entende. Mas pelo menos a gente sabe que assim não é. E se é a gente talvez não quer que seja. Porque a gente é assim. Sei lá. A mistura muito colorida de branco. Vermelho. Azul. E. Verde. Quase a bandeira gay. Quase a bandeira. É. E bandeira é coisa que nós não tem. Tem não. E importa? Não sei. País que se preze tem. Estados Unidos têm. França também. Se até o Brasil não rasgou a bandeira diante de tudo aquilo lá.
HAHAHAHA. É pra rir.
Sereia foi, mas um dia volta. Tá vindo aí. Quem tá vindo? Quem tá vindo? A gente espera. Espera chegar. De braços abertos e corações grandes. A gente espera. A gente espera. A gente vai sempre se esperar. Grato. Grato. Grato. Grato.
Muito mais que grato.

7 comentários:

Johnny disse...

sinta uma falta...

Thaís Cabral Leocádio disse...

Olá Johnny! (: Estava louca atrás de um endereço pra mandar cartas pra você como eu fazia na época de floribella ._. É bem provável que você não se lembre de mim, muito menos das minhas cartas, mas as que você me mandou como resposta eu guardei com tanto carinho, tanto! E ainda hoje releio-as :D Gostei muito do seu blog e do seu estilo de escrever. Tão poético, complexo, farto. Indaga, analisa e demonstra. Meio filósofo. Muito filósofo, eu diria. Ah! Estou te seguindo no twitter (@thaiisleocadio) :D Tenho tantas coisas mais pra falar, tantas que você já deve estar cansado de ouvir. Então fica assim mesmo. Um sorriso. Um até logo - espero eu. E saiba que tem minha admiração há tempos. (: Desculpa pela amolação. Beijos!

disse...

Maravilha!O escrito e o escritor!Somos protagonistas,ou quem sabe,vítimas da sinergia que nos pertence e emana de nossa ideologia mais que revolucionária em formação de personalidade.Agradeço por me fazer feliz!Sou grata por explanar o que há de mais lindo no ser humano!Agradecida pela existência de um ser possuído por energias carregadas de ânimo,e o mais importante:amor!

Andrè Dale disse...

Seus textos são tão profundos johnnyzito... Tem um velho muito velho dentro de você, né cara? O Amir Haddad disse que todos os atores que são realmente atores são bem velhos! Eu gostei quando ele disse isso, também me sinto meio velho... E fico pagando sempre de Leblon por aí! hehehe Muito bom ver texto novo no blog, sempre visceral! Vê se continua vomitando bastante por aqui! Beijos enormes queridão! Te amo muito!

Joi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joi disse...

esse velho q tem dentro de vc, como o andré falou, é um velho ator e poeta e apaixonado e legítimo em tudo oq diz. ele já fez tanto pra tanta gente, por tantos, portanto, por si já fez muito. muito bem e muito mal, mas sempre muito bom nos bens e mals que faz. obrigado por seus feitos e palavras, seu velho maluco! seu velho sábio, seu velho tolo, seu velho jovem. um velho que não se sente cansado. um velho privilegiado por estar na alma de um jovem curioso sincero.

pode ser? hahaha sou teu fã, mlq!!!!!

marie disse...

Má rapá! De onde vem a dor e a revotlta? Pois a energia e a alegria são óbvias!
Adorei Johnny, adorei. Vou continuar te seguindo por aqui...
Beijos.
Maria Carolina